29 de novembro de 2010

Neutralidade apaixonada


Já vim aqui várias vezes e falei sobre a paixão. Relacionei-a com o amor, com a água, com pessoas... novamente a palavra central é paixão, mas não a paixão especifica de um homem e uma mulher.
Paixões seria uma palavra mais adequada.
A única paixão que existe é o desejo ardente entre os sexos? Não, não é. Existem diversos tipos de paixões e todas elas acompanham o homem desde que ele se tornou homem.
De que paixões estou falando, então?
Uma definição:
“Forças motrizes que regem a nossa vida, definindo nossa existência a partir do direcionamento que damos à elas”.
Uma paixão, então, pode se resumir na simples vontade de comer, ou de encontrar a felicidade, ou até de responder à uma ofensa proferida contra nós. Paixão seria igual a vontade?
Mais ou menos. Paixão é uma vontade, sim, mas não uma simples vontade como “ah, quero tanto comer um panettone...”. Não, é aquela vontade que nos impele a comer para que possamos sobreviver, aquele desejo de ser feliz que está arraigado no nosso ser porque é para isso que fomos criados. As paixões são quase como instintos e podem nos dominar se não soubermos como controlá-las.
As paixões são coisas negativas então?
Com certeza não.
As paixões são forças neutras, até porque o desejo de ser feliz não pode ser algo ruim, certo? Depende de nós direcioná-las para o bem ou para o mal, ainda que tal conceito dependa exclusivamente de como fazemos nossas escolhas. Uma mesma atitude pode ser boa em um momento e péssima em outro. Mas não vamos entrar nisso agora.
Como podemos controlá-las? Nisso também não posso ajudar. Cada um tem suas próprias paixões que podem ser coisas pequenas ou gigantes, como um vício, por exemplo, e cabe a nós entender, compreender tais paixões, o desejo que as move, e, assim, conseguir fazer com que elas não nos prejudiquem, fazer com que elas sejam ferramentas para a nossa evolução, não estagnação.
Para controlar as paixões, precisamos nos conhecer. É isso antes de tudo. Simplesmente não temos como encontrar a solução de um ‘problema’ se não entendermos o ‘enunciado’ esse problema. Não adianta também analisarmos toda a situação em si, pois existem infinitos fatores que podem gerar alguma coisa, modificar algo. Temos é que olhar para nós e, assim impedir que algo possa acontecer, ou até fazer com que algo aconteça.
Conheça a si e assim poderá alcançar qualquer coisa que quiser. Deus nos deu todas as ferramentas para sermos felizes, e as paixões são apenas mais algumas delas. Cabe a nós decidirmos se vamos usá-las para o bem ou para o mal.
Eu escolho a primeira opção.
E você?

esse texto é dedicado à você Del!! ;D
O que você achou?

2 comentários:

Del disse...

Ahhhh, que lindo você *_________* Foi o Livro dos Espíritos que te ajudou?! hahahah' =D

Gustavo dos Reis!!! disse...

hahahahaha entao né, na vdd não, foi apenas com os meus conhecimentos...
uhauahauhauhauhauhauahuahua

beijoos linda!!
^^

Postar um comentário

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Online Project management