3 de novembro de 2010

Erros de programação

Qual é mais pesado? 1 kg de alumínio ou 1 kg de plástico?

Onde há mais matéria? Em 1 kg de alumínio ou 1 kg de plástico?

Ok, a primeira frase já é batida, a maioria das pessoas não cai mais. Mas, e a segunda? Você sabe qual é a resposta?

Porque as pessoas erram tanto a primeira pergunta? Porque nós não analisamos as coisas com a devida atenção. Nosso cérebro cria regras para explicar as coisas ao nosso redor e nós acabamos seguindo-as sem nem mesmo pensar. Simplesmente associamos que o alumínio pesa mais que uma garrafa pet, então falamos que 1 kg de um pesa mais que 1 kg de outro. Cara, 1 kg é 1 kg, não importa do que.

Só que esse sistema não se aplica apenas para questões como essa. E o problema é que essas “regras” criadas pelo nosso cérebro nem sempre são certas, como já vimos no exemplo anterior.

A primeira coisa que muitas pessoas fazem diante de um problema cabuloso é se desesperar, diante de um assaltante é entrar em pânico, diante do escuro, é ficar com medo, diante de um insulto, é ficar com raiva, quando levam um soco, é revidar, quando tropeçam, é cair (opa, essa já não é tanto uma reação espontânea né! XD). Já deu para entender.

O que realmente devíamos condicionar nosso cérebro a fazer sempre que acontece algo é simplesmente não fazer nada. Nada? É isso mesmo, nada.

Vejamos a seguinte situação:

Você está calmamente andando pela rua quando percebe a aproximação de dois meliantes menores de idade. Acelera o passo mais eles te alcançam. Um fecha sua frente e o outro fica do seu lado.

- Perdeu, velho, perdeu. Passa o celular ai! – um deles fala baixa e ameaçadoramente.

E você?

Nada.

Fica olhando para um... pro outro, encara a rua, olha o movimento...

- Passa a po..a do celular ca....o!

Você olha de novo para ele com uma cara de paisagem, pisca umas duas vezes, tira o celular do bolso e... olha as horas, devolve para o bolso.

- Seu filho da p... – ele puxa uma faca e enfia no seu estômago.

Também não é assim né!

O nada que eu quis dizer é não ter nenhuma reação instintivamente idiota como as citadas anteriormente, sem nenhuma base lógica. O nada deve ser usado para analisar a situação, pensar em todas as maneiras de resolvê-la, descobrir qual a mais lógica/eficiente/prática e se preparar para executá-la. No caso de um assalto, tudo isso deve ser feito no tempo máximo de um segundo.

E isso se aplica à tudo na nossa vida. Se sempre analisarmos os problemas e situações antes de fazer qualquer coisa, obteremos êxitos muito maiores.

Voltando à questão não respondida no começo.

Onde há mais matéria? Em 1 kg de alumínio ou 1 kg de plástico?

O plástico não é? Afinal, preciso de um volume muito maior de plástico para completar 1 kg, certo?

Haha, errado de novo. Mas beleza, a culpa não é sua.

A molécula do plástico, além de ser maior, é mais pesada do que a do alumínio, o que faz eu precisar de uma quantidade menor de moléculas, um n (nº de mols) menor do que de alumínio para conseguir completar um quilo!

;D

O que você achou?

1 comentários:

t. stethickovit disse...

Ainda nao li nada, mas quando tiver tempo eu leeeio! (:

Postar um comentário

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Online Project management