17 de novembro de 2010

A criação da destruição


Um ciclo. Nascer, crescer, reproduzir e morrer.
Principalmente morrer.
Milhões e milhões de pessoas nascem todos os dias no nosso planeta, muitos desses simplesmente n nascem, morrem. Outros tantos nascidos antes seguem o mesmo caminho sem volta, o da escuridão, do medo infundido em séculos de instintos.
Porque morrer?
Porque ter medo da morte?
Temos medo porque não sabemos o q vem depois, não sabemos como será, não sabemos nem mesmo se vamos continuar existindo!
Não sabíamos...
Lutamos a maior batalha d nossas vidas todos os dias, a todos os instantes. E a cada segundo q passa, perdemos um pouco mais, rumando inevitavelmente para a derrota final.
Morrer é perder então?
Quem morre cedo é porque não teve capacidade d continuar lutando? Talvez, para alguns...
Somos mesmo sonhadores, adoramos lutar por causas perdidas (não que um sonho seja uma causa perdida). Travamos insistentemente a guerra que não podemos vencer. Uma hora, cedo ou tarde, a morte sempre ganhará.
Porque o ciclo é esse: nascer, crescer, reproduzir e morrer.
Espere!
Falta algo aí.
Renascer.
Morremos todos os dias quando dormimos. Renascemos todos os dias quando dormimos. Renascemos ao acordar.
Milhões, bilhões de seres renascem todos os dias em nosso pequeno planeta, mostrando que mesmo que percamos infinitas vezes para a morte, sempre nasceremos uma vez mais.
Morremos na mesma proporção que nascemos? Não.
Cada sonho que sonhamos, que realizamos, é uma outra vez que nascemos. Os sonhos nos trazem vidas. Cada amor que vivemos nos faz renascer nessa própria. O amor multiplica essas vidas.
Sabemos sim o que vem depois da morte. Uma nova vida. Pois a morte apenas existe para que possamos viver novamente.
Não tenha medo da morte, não tenha medo da vida. É apenas um ciclo que se repete em nossa existência.
Quem sempre ganha nessa “guerra”?
Nós.
O que você achou?

0 comentários:

Postar um comentário

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Online Project management