7 de dezembro de 2011

Um alegre dia nublado


As nuvens se espalham pelo céu, encobrindo seu azul, lançando suas cores melancólicas sobre a Terra. Dizem que dias de chuva trazem tristeza, que tornam as coisas menos alegres.

Não acho.

Olho pela janela e, em seu reflexo inclinado, vejo gotas que parecem disparar em direção ao infinito, acelerando gravitacionalmente rumo ao horizonte.

Observo a chuva que cai, fraca como uma garoa levada pelo vento, invadindo marquises e guarda chuvas, ou então forte, torrencial, precipitando-se intensamente ao desfazerem-se das soluções saturadas que são as nuvens de chuva. Às vezes o decantamento ocorre de forma mais brusca, mais fria, e então as gotas congelam-se em projéteis da natureza que rumam certeiros para seus alvos na terra, ganhando do ar em sua descida desenfreada.

Há beleza em um dia de chuva, mas apenas aqueles que quiserem ver conseguirão.

Tal beleza só é vista, pela maioria, depois, nas flores que crescem, nas árvores que dão frutos, nos rios que correm e cachoeiras que se formam, ou então no arco íris quando o Sol aparece. Para que nasçam todas essas coisas, precisou haver um dia de chuva.

Há beleza no poder da natureza com sua força transformadora, às vezes destruidora, mas, para a transformação, é necessário que haja a destruição. Isso se chama evolução.

Sim, eu aprecio a chuva, a beleza da chuva, a sensação de tomar um banho a céu aberto, de beijar sob o céu que desaba, de correr de braços estendidos sentindo as gotas encharcarem meu corpo, suas agulhadas frias na pele, lavando minha alma.

Aprecio o toque gélido e molhado, o arrepio causado, o prazer destilado, a sede que é morta, a vida que renasce.

Sim, um dia de chuva também faz felicidade.
O que você achou?

0 comentários:

Postar um comentário

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Online Project management