15 de dezembro de 2011

Resenha: Harry Potter - Série

Títulos: Harry Potter e a Pedra Filosofal; Harry Potter e a Câmara Secreta; Harry Potter e o Prisioneiro de Askaban; Harry Potter e o Cálice de Fogo; Harry Potter e a Ordem da Fênix; Harry Potter e o Enigma do Príncipe; Harry Potter e as Relíquias da Morte
Autora: J. K. Rowling
Série: Harry Potter
Editora: Rocco
Skoob: Livro

Harry Potter e a Pedra Filosofal

Harry Potter é um garoto órfão de 10 anos que vive infeliz com seus tios, os Dursley. Até que, repentinamente, ele recebe uma carta contendo um convite para ingressar em Hogwarts, uma famosa escola especializada em formar jovens bruxos. Inicialmente Harry é impedido de ler a carta por seu tio Válter, mas logo ele recebe a visita de Hagrid, o guarda-caça de Hogwarts, que chega em sua casa para levá-lo até a escola. A partir de então Harry passa a conhecer um mundo mágico que jamais imaginara, vivendo as mais diversas aventuras com seus mais novos amigos, Rony Weasley e Hermione Granger.

Harry Potter é a mais fantástica série que já li até hoje.
Alguns podem dizer que O Senhor dos Anéis é mais bem elaborado, com muito mais detalhes, uma história gigantescamente maior, que passa por eras e eras. Sim, nisso terei que concordar, mas isso não é tudo do que uma história é feita.
Harry Potter tem um sentimento muito, muito maior. Harry Potter passa uma lição muito maior.
Alguns pensam que o ponto chave da história é a guerra entre Voldemort e Harry. Estão enganados. O maior protagonista desta série é um simples, porém gigantescamente complexo, sentimento. O amor é a causa primária de tudo.
O amor, como Dumbledore disse dezenas de vezes, é capaz de tudo, vence a mais poderosa das magias, e seria a arma de Harry contra Voldemort, o seu trunfo sobre o bruxo que não podia amar. E, no fim das contas, foi graças ao amor que Harry pôde vencer.
Milhões de jovens por todo o mundo cresceram junto com Harry, e eu fui um deles. Amadurecemos junto com a personagem, vivemos seus conflitos, nos angustiamos com suas lutas, sentimos medo, dor, choramos, amamos, ficamos felizes, tudo isso através das palavras de Rowling.
Alguns dizem que a J.K. não é uma autora assim tão boa, afinal "depois de Harry Potter ela não escreveu mais nada". E nem precisa, na verdade. Harry Potter é uma obra-prima que nenhum outro autor até hoje conseguiu criar, nem mesmo Tolkien e suas dezenas de livro sobre o seu universo e sua língua inventada.
Rowling foi mais fundo que todos os outros, foi até o íntimo de cada um de seus leitores e plantou a sementinha chamada "Harry Potter" lá, fazendo nascer um amor e uma amizade incompreensíveis para aqueles que não tiveram a mesma sorte. Sim, por que é uma sorte poder viver tudo o que vivi pelas páginas que li.
Harry Potter é um livro para ser relido muitas vezes, pois só assim pode-se entender a profundidade da história, que vai muito além de um bruxo numa escola de bruxaria.
Ou será que alguém que leu apenas uma vez a série percebeu que a guerra contra Grindewald aconteceu na época da Segunda Guerra Mundial? Ou então que Voldemort protagonizou a Guerra Fria? Ou muitos outros detalhes intrinsicamente ligados entre cada um dos livros? Sim, pois há detalhes que são explicados no sexto ou sétimo livro e que são citados logo no primeiro.
A história de Harry Potter, O Menino que Sobreviveu, tenho certeza, será ainda contada, lida e relida por gerações. Nós, porém, temos a sorte, a imensa sorte de termos vivido na geração em que Harry Potter nasceu, cresceu e não morreu, que sobreviveu a 7 embates diretos contra Voldemort, a personificação do mal que toma conta de nosso mundo. Temos a sorte de ter acompanhado essa história durante sua criação, e esse prazer, esse presente, ninguém nunca poderá tirar de mim
O que você achou?

0 comentários:

Postar um comentário

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Online Project management