19 de dezembro de 2011

Resenhas: Eragon - A Série


Títulos: Eragon; Eldest; Brisingr; Herança
Autor: Chistopher Paolini
Série: A Herança
Editora: Rocco
Skoob: Livros

Eragon

Eragon é o romance de estreia de Christopher Paolini, uma história repleta de ação, perigosos vilões e locais fantásticos. Com dragões e elfos, cavaleiros, lutas de espadas, inesperadas revelações e, claro, uma linda donzela que é muito bem capaz de cuidar de si própria. O protagonista, de quinze anos, é um pacato rapaz do campo, que ao encontrar na floresta uma pedra azul polida, se vê da noite para o dia no meio de uma disputa pelo poder do Império, na qual ele é peça principal.

Não vou discorrer sobre a história do livro, até por que faz algum tempo que o li.
Quando comecei a ler Eragon, eu estava escrevendo o meu livro e, enquanto o lia, pensei exatamente essas palavras: vou usar esse livro como um exemplo do que NÃO escrever.
Não gostei muito da história no começo, mas, principalmente, não gostei do estilo de escrita do Paollini. Já havia lido a saga d'O Senhor dos Anéis duas vezes e, para os fãs desta série, Eragon chega a ser decepcionante em alguns pontos, mas não por que a história é ruim, mas sim por que ele usou muitas ideias do Tolkien sem nem mesmo adaptá-las à sua história. Simplesmente fez um Ctrl + C, Ctrl + V e pronto. Alguns nomes ele teve o dom de mudar apenas uma ou outra letra e então colocou lá. A linguagem antiga é outra "decepção", falha, sem base ou um fundamento, várias palavras jogadas com um significado inventado. Está claro que ele já leu Tolkien e tentou criar algo parecido com o universo dele, mas não chega perto da genialidade de Tolkien. Com isso, não digo que ele é um mal autor, mas sim que Tolkien está acima dos padrões comuns.
A história em si é boa e teria muito menos críticas se ele não tivesse tentado fazer algo parecido com Tolkien. Que ele criasse sua história com suas ideias, até mesmo pegando algumas coisas, mas adaptando-as e moldando-as às suas ideias, não tentando adaptar sua história às ideias do Tolkien.
Uma coisa que me incomodou no começo, como disse antes, foi o estilo de escrita. Não é ruim, ele sabe detalhar e colocar a imaginação em palavras, criou as personagens com personalidade, diferenciando bem uma da outra, mas a forma como ele escreve é pouco madura para o tipo de literatura que ele quis criar.
Porém, estilo de escrita é como opinião. Cada um tem o seu e não devemos criticar a forma como alguém escreve. Não há certo ou errado.
Em um balanço geral, acredito que a história tenha mais pontos negativos que positivos, sendo os negativos, para mim, apenas os que citei aqui.
Recomendo como uma boa leitura, gosto muito da série, mas é um livro para se ler sem ideias pré-formadas ou expectativas, sem preconceito.
O que você achou?

0 comentários:

Postar um comentário

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Online Project management