28 de dezembro de 2011

O Mochileiro das Galáxias – A Série


Títulos: O Guia do Mochileiro das Galáxias; O Restaurante no Fim do Universo; A Vida, o Universo e Tudo Mais; Até Mais e Obrigado Pelos Peixe; Praticamente Inofensiva; E Tem Outra Coisa.
Autor: Douglas Adams
Série: O Mochileiro das Galáxias
Editora: Sextante
Skoob: Livros

Sinopse “O Guia do Mochileiro das Galáxias”

Arthur Dent tem sua casa e seu planeta (sim, a Terra) destruídos em um mesmo dia, e parte pela galáxia com seu amigo Ford, que acaba de revelar que na verdade nasceu em um pequeno planeta perto de Betelgeuse.

Considerado um dos maiores clássicos da literatura de ficção científica, este livro vem encantando gerações de leitores ao redor do mundo com seu humor afiado. Este é o primeiro título da famosa série escrita por Douglas Adams, que conta as aventuras espaciais do inglês Arthur Dent e de seu amigo Ford Prefect. A dupla escapa da destruição da Terra pegando carona numa nave alienígena, graças aos conhecimentos de Prefect, um E.T. que vivia disfarçado de ator desempregado enquanto fazia pesquisa de campo para a nova edição do Guia do Mochileiro das Galáxias, o melhor guia de viagens interplanetário. Mestre da sátira, Douglas Adams cria personagens inesquecíveis e situações mirabolantes para debochar da burocracia, dos políticos, da "alta cultura" e de diversas instituições atuais. Seu livro, que trata em última instância da busca do sentido da vida, não só diverte como também faz pensar.

Definindo em uma palavra?

Fascinante.

Uma primeira dica? Se você abomina coisas “nerds”, nem comece a ler estes livros, pois fascinante será a última coisa que você vai achar da série.

Quando peguei o primeiro volume para ler, não sabia o que esperar dele a não ser um pequeno trecho sobre as toalhas (item indispensável e, talvez, o mais importante, para um mochileiro das galáxias) que um amigo me mostrou. Ali já vi que o livro seria bem brisado.

Mas, como gosto de coisas brisadas, me joguei de cabeça.

A cada página virada eu me surpreendia uma vez mais (ou muitas), com as ideias fantásticas e absurdas que Adams desenvolveu. Analisando-as por si só, qualquer um diria que são coisas ridículas demais até mesmo para se colocar em um livro de ficção, e talvez seriam, se não tivessem sido escritas por Douglas “Gênio” Adams. Sim, o cara é um gênio.

Como diz na contra capa, sua genialidade é cômica e, mesmo que algumas piadas apenas ingleses entenderiam, podemos rir com muitas outras.

A forma como ele escreveu suas brisas faz com que elas deixem de ser idiotas e passem a se tornar fascinantes, como criar um gerador de improbabilidade infinita através de uma máquina de café (se não me engano) e outras coisas totalmente sem sentido ou explicação que apenas deixam a série ainda mais interessante.

Às vezes a leitura é difícil, mas não por que o texto é maçante, mas sim porque as ideias explicadas são bem complexas.

Ele viajou pelo mundo da física e da matemática e conseguiu trazê-los brilhantemente para o universo literário, criando desde naves que podem estar em qualquer ponto do universo ao mesmo tempo até outras que viajam através de cálculos feitos no caderninho de um garçom de restaurante, pois a matemática gastronômica difere totalmente suas regras da matemática comum.

As personagens são fantásticas.

Arthur Dent, a personagem principal, parecendo ser bem lerdo no começo, se mostra extremamente engraçado no decorrer dos livros, e até mesmo inteligente depois. Ford Prefect parecia mais comum no começo, mas apenas até colocar suas mangas de fora e mostrar o verdadeiro Ford, ironicamente hilário, corajoso e medroso, calmo (no começo) e irritadiço. Zaphod Beblebroox e suas duas cabeças e, provavelmente, a personagem mais exótica da história, mas desaparece misteriosamente da trama no terceiro livro. Alguns dizem que os outros dois livros, sem ele, perdem a graça, mas eu achei que o quarto livro, mesmo com uma quantidade reduzidíssima de personagens em relação aos outros, ficou ótimo também. E não podemos esquecer Marvin, o robô depressivo que, no começo, pensa-se que não será de grande importância pra história, mas acaba participando mais do que significativamente de tudo e, mesmo ele sendo bem chato, acaba-se sentindo certo afeto por ele no seu fim.

Não me estenderei mais. Só se pode ter uma real noção de como é essa série, lendo-a. Posso dizer que é, novamente, fascinante, empolgante, muito brisada, muito engraçada, cheia de ação, reviravoltas inimagináveis e outras coisas mais, mas, se quiser realmente ir para outros mundos, pegue estes livros e leia.
O que você achou?

0 comentários:

Postar um comentário

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Online Project management