4 de setembro de 2010

O desafio de desafiar

Eu gosto de desafios. Gosto de desafiar as coisas, os outros e a mim. Mas o que caracteriza um desafio?

Para mim, desafio é algo que, para ser feito, deve-se fugir da normalidade. Algo que todos fazem não é desafio, certo? Eu prefiro os desafios que as pessoas tem medo de encarar. Muitas vezes elas sequer cogitam fazer aquilo. Quanto mais difícil, melhor. E se exigir do corpo então, aí que eu me delicio.

Vamos há alguns exemplos.

Se você estivesse em um camping e visse um riacho que se embrenha no meio da mata, você seguiria por ele? Eu seguiria. E se, por esse riacho, você encontrasse uma cachoeira no caminho? Você voltaria, não é? Eu não. Ao começar a subir a cachoeira (apenas de bermuda ;D e cueca é claro) você vê dois caminhos: um deles é fácil, seco, e até rápido; o outro é pelo meio da queda d’água, com pedras cheias de musgo e a quase 90º. Você escolheria o primeiro (provavelmente), eu escolho o segundo, com certeza.

Você deve estar se perguntando: PORQUÊ! Certo?

Vou lhe falar.

É totalmente inebriante sentir a adrenalina correndo pelas suas veias, aguçando os sentidos, acelerando seu coração e a respiração. É um êxtase tão bom que me faz ter vontade de vivê-lo 24 hrs por dia.

Algumas pessoas não compreendem o prazer dessa sensação. Eu as desafio a experimentar apenas uma vez. Tenho certeza de que vão gostar.

Muitos vão me achar louco agora, mas sentir medo, de vez em quando, é bom! Faz você apreciar melhor o quanto somos frágeis, o quanto a vida passa rápido, e assim, pode dar mais valor a ela (Não vou me aprofundar nesse tema, esse texto não é para ser profundo ^^). Provavelmente você já sabe que eu fui atropelado, se não sabe leia o texto “Breves momentos” do mês de agosto. Tudo bem, eu podia ter me machucado, mas você não sabe como foi... (tá vai parecer estranho, eu sei) divertido isso! Sentir (ou não sentir) a falta de peso, o ar passando por mim, o milésimo de segundo antes da colisão que eu tive para mover o meu corpo, tomar a decisão, reagir. Depois o chão vindo e eu caindo perfeitamente, sem me machucar. É bom cara, bom mesmo. Melhor ainda é saber que, enquanto alguns (;D) quebram o braço jogando futebol ou ao tropeçarem na rua, eu sou atropelado e saio praticamente sem nenhum arranhão!

Qual a graça de se cumprir um desafio onde não há perigo? A diversão (XD) é saber que, se você fizer algo errado, vai se machucar. O legal é levar o seu corpo ao extremo, explorá-lo e conhecê-lo, expandir seus limites.

Só não faça algo que saiba ou ache que não conseguirá fazer* (por enquanto, pois nada é impossível). Eu me desafio sempre com prudência, avaliando o perigo antes. Quer começar? Então vá devagar.

Estabeleça metas de desafios maiores. Pule de Sky coaster, voe de asa delta, salte de pára-quedas (ainda tem hífen?) escale o Everest. Pratique escalada, voe como um morcego, mergulhe de uma cachoeira.

Viva! (La vida hehehe).

*Leia sobre a não impossibilidade das coisas no texto “Missão Impossível?” neste mesmo blog, no mês de agosto!

O que você achou?

3 comentários:

Phamela Silva disse...

Acho que você é muito maluco Gu ;* Mais tudo bem, tb sou !

Pa²H (: disse...

ah Guuh,
vamos correr perigo entaaum?
não tem como se arriscar sentada sem fazer mtu esforço?? :D
eu prefiriria!!

Gustavo dos Reis!!! disse...

uhuahuahauhauhau fica dificil neh paahm!!
vamos correr perigo! ;D eh bom! hehehe
sem fazer esforço nao da pra se arriscar nao...
XD

Postar um comentário

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Online Project management