6 de setembro de 2010

Can I be your Prince?

Hoje é aniversário da minha mãe! Parabéns pra ela!! ;D

Mas não foi sobre isso que eu vim falar hoje.

Mais um dia que se passou, um domingo, e foi um domingo muito bom, em companhia de pessoas que eu amo muito, minha nova família! Obrigado a todos que estavam ontem por fazer parte da minha vida! ;D

Fomos ver o filme “Nosso Lar” que, por sinal, é muito bom. Mas pra falar a verdade, eu não prestei atenção em todas as partes do filme. Isso aconteceu porque o meu pequeno “assunto” de cabelos negros estava sentado do meu lado e, assim, ficou meio difícil desviar a atenção para coisas menos interessantes que ele (ela, na verdade, para deixar bem claro!! Hehehe).

O fato é que não aconteceu o que eu esperava que acontecesse, que foi o que eu disse no meu último post. Eu não a beijei. Porque? Não sei. Falta de tentativas não foi.

Algumas pessoas falam de atitude, que você tem que ter atitude e tals. Bem, atitude não me faltou. Agora eu pergunto, será que foi correto? As dúvidas são muitas e cruéis. O que fazer, quando fazer, se devemos apenas esperar agora, ou continuar tentando... O maior problema é quando você não entende o que a outra pessoa realmente quer, quando ninguém entende.

Não posso dizer que o dia de ontem teve um desfecho primoroso, não teve, mas, no balanço geral, foi realmente bom. Pelo menos não vou me arrepender depois por não ter tentado, se as coisas não vierem a acontecer de uma forma... agradável. Eu estou vivendo o presente, como todos dizem que devemos fazer, mas não é só por causa disso. Eu já descobri que viver do passado ou apenas pensando no futuro não leva a nada, o negócio é aproveitar realmente cada momento, cada segundo, porque cada um deles é único e não vai mais voltar. A oportunidade de ontem passou e agora já era. Virão outras, porém.

Do que devemos ter medo? Será que esse medo é lógico? Porque não aproveitar a oportunidade quando ela surge? Os dois querem? Então porque não aproveitar, mesmo sem saber quanto tempo pode durar? Pode existir outra pessoa, mas é para essa pessoa que os pensamentos vagam quando se está sozinho? É por causa dela que você tem que desviar o olhar para não esquecer o que quer falar ou para não cometer uma “loucura”? No meu caso não é por outra pessoa.

Sabe, pode parecer estranho, mas, quando eu a abraço, eu me sinto... seguro, sinto que não estou sozinho. Porém não posso dizer que ontem não fiquei um pouco triste. Fiquei sim, mas, como já falaram esse ano, sim, eu posso! Aprendi, já há algum tempo, a não desistir das coisas que quero, que fazem bem pra mim, não desistir até que eu receba um não definitivo ou que não existam mais chances de isso dar certo. Não sei até onde isso pode levar, no que vai dar, só sei que vou investir todas as minhas forças para que dê certo. Só que uma ajudazinha do outro lado também seria muito bem-vinda não é? Como eu já disse mais de uma vez, só preciso de uma chance. Não dói vai! Só uma, se não gostar, beleza, é só dizer que eu paro de encher o saco! Hehehe.

É isso gente, não tenho mais nada pra falar (eu acho).

O que você achou?

1 comentários:

Phamela Silva disse...

É Gu, falta de atitude não foi .
Preciso ter uma séria conversa com o seu "pequeno" assunto que mia HAHAHA'

Parabéns pra sua mãe (:
eu amo ela HAUAHSUHS, pq ela colocou no mundo 2 pessoas que eu amo demais ( não fique se achando por causa disso Gu !)

Postar um comentário

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Online Project management