21 de setembro de 2010

E se fosse verdade...

Quantas coisas nós não desejamos? Quantas coisas não queremos que aconteçam em nossas vidas? Eu quero muitas.

A maioria das pessoas, quase todo mundo, na verdade, possui sonhos, desejos, vontades... Existem alguns que se entregaram à vida e apenas sobrevivem à ela, deixando-a passar e controlar seus atos, passando despercebido por ela e pela vida de outras pessoas.

Pensando sobre isso, ouvindo, lendo sobre isso, muitas pessoas com certeza pensam: “Eu não sou assim, quando quero alguma coisa, vou atrás”.

Será mesmo?

Tenho certeza que você, alguma vez, já desperdiçou uma oportunidade, deixou-a passar, por medo de arriscar, por não saber no que aquilo ia dar, por seguir demais a sua razão.

Vou puxar mais para o campo dos relacionamentos que é onde, eu acredito, surgem os maiores problemas, as maiores duvidas e incertezas, os maiores medos e também as maiores dores e decepções.

Quantos relacionamentos você já deixou que não acontecessem por causa de cor, tamanho, idade, distância, crenças, ideologias, medos, racionalismo... Ok, não acho que cada pessoa já desperdiçou uma chance para cada um desses motivos, mas tenho certeza que você já fez isso por pelo menos um deles.

Agora... você se arrependeu? Eu já me arrependi de ter deixado passar.

Não posso dizer que já vivi demais (tenho só 19 anos) mas eu já vivi algumas experiências, adquiri algum entendimento e maturidade no tema, também observando e aprendendo com o erro dos outros (eu sou muito observador, muito mesmo. Quem me conhece sabe disso). E eu aprendi que não vale a pena você deixar de arriscar por coisas tão pequenas como as que eu citei acima. Não vale mesmo.

Quem sabe exatamente no que vai dar? Se você for querer começar algo, pensando em como vai terminar, nunca começará nada, pois estará sempre com medo do fim. Nada é eterno (ok, algumas coisas e sentimentos são, mas são casos raros), não precisa acreditar mesmo que vai durar para sempre, mas, como já disseram (não me lembro quem =/), que seja eterno enquanto dure.

Muitas pessoas não gostam de Crepúsculo. Eu vou dizer que gosto, mas é mais pela profundidade de sentimentos existentes naquela história. O pequeno detalhe de que ele tinha que lutar contra o instinto de matá-la, não impediu o Edward e a Bella de ficarem juntos. Assim como no filme “E se fosse verdade” onde o cara se apaixona pelo espírito de uma mulher em coma no hospital. Mesmo sabendo que ela estava morrendo um pouco a cada dia e que morreria quando a família desligasse os aparelhos, ele não desistiu de tentar salvá-la, ele investiu nesse amor, nesse sentimento, mesmo sem ter a mínima ideia de o que fazer para impedi-la de morrer.

Não estou dizendo que temos que tentar fugir com uma mulher em coma na maca de um hospital, mas não vamos deixar os nossos pequenos problemas nos atrapalharem. Existem pessoas que lutam contra coisas muito maiores. São histórias? Sim, são histórias, é ficção, mas eu, pelo menos, lutaria com tanto afinco quanto eles por um amor. A ficção nada mais é do que uma cópia da realidade, pois, se uma história emociona, é porque quem a escreveu realmente sentia o que estava escrevendo (eu sei um pouco sobre isso, por isso posso falar).

O que mais nos faz desistir de um amor é a razão.

Sabe, muitas pessoas dizem que temos que seguir a razão, pensar duas vezes antes de fazer qualquer coisa... Nem tudo é assim. Não podemos deixar a razão dominar uma área que não é nada racional! Como a razão pode entender a emoção se não há nada de emoção na razão? O que temos que fazer, é encarar com lógica. A lógica sim vai muito além da simples razão. Há lógica na emoção, há lógica no amor.

Junte alguns fatores: vontade de ver alguém, respiração acelerada quando a vê, pensamento preenchido pela sua imagem em qualquer momento livre ou não livre, mãos geladas, perda de concentração na presença da pessoa esquecendo o que ia falar etc., sonhos com ela, textos inspirados na pessoa... logicamente, você está apaixonado.

A razão é uma inimiga da emoção, ainda que, racionalmente, estejamos fazendo o que é “melhor” para nós. Será que a gente sabe o que é melhor para nós? Eu não acho que saibamos não, ainda mais quando se trata da emoção.

Uma chance com alguém pode nunca mais voltar e você só tem como saber se vai dar certo, se você vai ser feliz, se tentar. Ficar pensando não ajuda nas coisas, só vai fazer você tomar decisões que você não quer realmente, que o seu coração não quer. A emoção, em nós, é muito mais presente do que a razão, nós somos muito mais emoção do que razão, então porque queremos governar nossa vida apenas pela emoção? Não está certo isso.

Então, não deixe uma oportunidade passar por medo de se machucar ou que possa dar errado, ou pelo que as pessoas podem ou estão falando, o jeito como estão olhando... Nada disso importa. Histórias inacabadas, para nós, às vezes já até tiveram o seu fim, ainda que não tenhamos percebido isso.

Acredite em você, acredite no seu coração, no que ele te diz quando você está junto com a pessoa por quem ele bate mais forte. De uma chance à vocês.

Você não vai se arrepender, tenho certeza.

^^

O que você achou?

1 comentários:

Phamela Silva disse...

"Acredite em você, Acredite no seu coração ..."
AMEI GUSTAVO, vou reblogar isso.
I Love U s2

Postar um comentário

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Online Project management