15 de janeiro de 2011

Continuar lutando



“O importante não é bater, é apanhar e continuar lutando”.


(Rocky Balboa)

Realmente faz sentido, e não apenas em uma luta de verdade, mas vamos começar por elas.

Um exemplo: em uma luta, você surra seu oponente impiedosamente, mas mesmo assim ele continua de pé, e então, em um golpe perfeitamente colocado, ele te acerta em cheio no estômago, te tirando o fôlego, emendando um gancho no seu rosto. Pronto, nocaute. Serviu de alguma coisa a surra que você deu nele? Não serviu para nada, pois no fim ele te derrubou com dois golpes perfeitos.

Qual foi a diferença do seu oponente para você?

Primeiro: ele não se deixou abalar pelos seus golpes. Apanhou e não desistiu.

Segundo: não desperdiçou energia em movimentos desnecessários. Bateu quando tinha que bater, no momento certo, com o golpe perfeitamente preparado. Ele foi mais eficiente.

Terceiro: em momento algum ele te subestimou.

Como eu posso dizer tantas coisas de uma narrativa tão curta? Fácil, é só ler nas entrelinhas.

O primeiro é fácil: você bateu e ele não caiu. Isso mostra persistência e força de vontade, coisas que faltam muito na maioria das pessoas. Temos a péssima mania de, ao encontrar um obstáculo, desistir da tarefa que pretendíamos cumprir.

O segundo: é igual no futebol: quem não ataca, toma gol. Numa luta, quem não bate, apanha. No futebol, porém, uma bola rolada para o gol e desviada por um morrinho artilheiro vale tanto quanto um gol de fora da área no ângulo. Em uma luta não é bem assim. Existe muita diferença entre um jab no peito e um cruzado no maxilar, um chute lateral na panturrilha e um externo na cabeça. O cara que ataca menos concentra sua energia em se defender, em estudar e observar seu adversário, enquanto você, batendo sem parar em qualquer lugar, se cansa e não aprende como seu adversário luta, não descobre as falhas na defesa dele.

O terceiro: quando a superioridade aparente pertence a alguém, essa pessoa se sente mais confiante e arrisca mais. Se o outro só se defende, é porque não consegue bater, certo? Isso mostra que ele é fraco! Errado em boa parte das vezes. Isso mostra que ele é inteligente e está te observando. Quem bate subestima, quem apanha não.

Não podemos desistir porque uma pedra nos atrapalha o caminho, temos que encontrar um meio de passar por ela, enfrentar o problema. Sabe o que você pode fazer? Chute-a bem longe! Não deixe que ela te impeça de continuar.

Nunca desista.

Se for fazer algo, faça bem feito. Nunca termine um trabalho no qual você não empregou o máximo das suas capacidades. Analise a situação e ataque com o movimento certo na hora certa. Use fintas, engane o adversário, desvie a atenção dele do seu foco para então atacar no lugar certo. Como? Exemplo: chute-o bem rápido na altura da coxa, assim ele terá que usar o braço para bloquear o ataque, mas isso é apenas uma finta para fazer ele abaixar o braço, ai então você dá o golpe de verdade, visando o rosto.

Seja eficiente.

E acima de tudo, nunca subestime o seu adversário, por mais fraco que ele possa parecer. Sempre esteja preparado para qualquer coisa, pois uma pessoa preparada vale por duas.
O que você achou?

0 comentários:

Postar um comentário

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Online Project management