13 de outubro de 2010

A criação da criatividade

Toda pessoa, quando criança, já teve seu momento “excesso de criatividade”.

Às vezes, falávamos coisas tão absurdas que nossos pais ou nos mandavam calar a boca ou vinham com um olhar de pena dizendo: Tudo bem, tudo bem.

Sim, já passei por isso.

Uma criança não tem dificuldade para criar os mais diversos cenários mirabolantes com apenas um pedaço de massinha. Eu nunca tive dificuldade com isso. Podia passar horas e horas sozinho brincando com meus bonecos ou simplesmente de olhos fechados, imaginando. Sempre sofri de excesso de criatividade e sempre pensei muito nisso, desde pequeno.

Quando crescem, as pessoas abandonam esse tipo de pensamento por ser “infantil” por “não ser coisa de adulto” etc. Muitas tem vergonha disso e lembram de si como “idiotas”, “retardados”, “bobos”, “bestas” etc.

Agora, essas mesmas pessoas admiram um escritor famosos, um músico ou pintor talentoso... Mesmo quando suas obras fogem totalmente à realidade. Ou tem alguma coisa de real em “O Senhor dos Anéis”? Ou nas pinturas cubistas de Picasso? (Picasso pintava cubismo né?).

Sabe qual a diferença entre esses dois grupos?

Os que pertencem ao segundo não abandonaram sua criatividade de criança.

Descobri que a criatividade não é um dom. criatividade é uma qualidade a ser trabalhada. Se alguns são mais criativos que outros, é porque eles trabalharam mais a sua criatividade ao longo dos anos e vidas, não tiveram vergonha de continuar, em parte, pensando como as crianças que foram, que são.

Sem falsa modéstia, a pessoa que vos escreve é relativamente criativa, bem mais do que a maioria das pessoas. Sou criativo por exercitar minha criatividade, produzindo, escrevendo, imaginando, pensando, brisando...

Mas não adianta nada ser apenas criativo. Uma pessoa pode ter facilidade em imaginar e criar, mas, se não alimentar a imaginação, não produzirá nada muito variado. Você tem que estar sempre dando novas informações para a sua mente processar, associar, destrinchar, analisar, unir e fundir com outras coisas.

Leia, observe a tudo e a todos, seres humanos e animais, a natureza, aprenda tudo o que for possível sobre tudo o que te cerca, não deixe seu cérebro parar de trabalhar.

Se quiser escrever, falar, pensar sobre algo, comece analisando o “tema”, pense no real significado da palavra, o que ela realmente é. Depois, passe para outros possíveis significados, comece a associá-la com coisas do dia-a-dia, com pessoas, situações, sentimentos. Não despreze nada. Por mais absurdo que possa parecer, alimente a idéia. E anote tudo, não confie na memória.

Quer ver como é fácil?

Vamos (eu) escolher um tema...

Hum...

Já sei!

O Sol.

Todos os dias, ao olhar pela minha janela, vejo o Sol raiar, nascer, crescer e se fortalecer. Seus raios luminosos levam um novo dia de vida, uma nova esperança...

Esperança...

Luz é esperança! Luz é vida que brota em nosso interior e irradia para todos os lados, iluminando a tudo e a todos, nos fazendo querer progredir e nunca deixar de viver.

O Sol.

Estrela de quinta grandeza, pequena e radiante, mas muito importante. Um pequeno ponto brilhante nessa imensidão de universo, isolado em um canto sem nunca ser menos que os outros.

Nós...

Nós somos luz! Irradiamos beleza e felicidade, amor e amizade. Temos, cada um, um pequeno Sol interior que pode ser milhões de vezes mais potente do que esse que nos ilumina! Podemos brilhar e fulgurar, iluminar sem nunca deixar de aumentar...

Viu? Não é tão difícil assim...

Use seus momentos de ociosidade para alimentar seu cérebro com novas informações e para trabalhar as que já tem.

Criatividade, novamente, é algo a ser trabalhado.

Não tenha vergonha de produzir e sempre mostre seu trabalho para alguém, pergunte o que a pessoa achou, aceite criticas e use-as para melhorar. Apenas treinando podemos evoluir.

Uma pessoa mais criativa, é uma pessoa mais inteligente, mais sagaz, com raciocínio rápido e direto, que encontra soluções com mais facilidade.

Questione sempre tudo ao seu redor. Se algo acontece, procure saber PORQUE, aquilo acontece, COMO acontece, QUANDO acontece, tudo sobre o mecanismo, objetivo... tudo. Esse é o método Socrático de analise. Sempre questionar tudo, nunca acreditar em nada sem pensar.

Vamos deixar a nossa criatividade aflorar!

Vamos, é só tentar....

;D

O que você achou?

2 comentários:

Carolina Tavares disse...

¨Sou criativo por exercitar minha criatividade... brisando.¨

Gostei imenso do brisando. Genial. O texto está muito bom. Criatividade é sem dúvida um exercício.

Tenho uma sugestão para ti que está relacionada ao exercício que fez com a palavra Sol, mas é um pouco diferente. A base é a associação livre de idéias.

Pegue uma folha de papel, coloque uma palavra que esteja relacionada a você, circule-a. Agora puxe traços e vá colocando outras palavras que esta palavra te lembra, mais de uma. Depois das palavras geradas puxe outras. E assim vai.

Você produzira algo semelhante ao modo como pensamos, ou seja, uma idéia está relacionada à outra idéia e assim sucessivamente criando uma cadeia de idéias. Como nossos neurônios fazem.

Não precisa atribuir significado, ou descrever cada palavra, mas criar uma rede. O importante é que seja alguma coisa que te descreva, que seja inerente a você. Depois me conte como foi.

Sua idéia quanto à criatividade é muito boa. Siga em frente.

Beijos

Gustavo dos Reis!!! disse...

hahahah obrigado!!
eu realmente briso demais...
entao, eu comecei a fazer já!
muito interessante esse exercicio.
vou seguir em frente, pode deixar!

beijos!

Postar um comentário

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Online Project management