17 de outubro de 2010

Chances de viver

Estava pensando no que escrever quando pensei em um tema que geralmente escrevo, mas consigo sempre falar alguma coisa nova sobre ele.

Sentimentos...

Gosto de falar sobre eles, pensar, meditar, questionar... Até mesmo com assuntos que nada tenham a ver com eles, eu acho uma maneira de citá-los. Um sentimento em si é o que mais me atrai.

O amor.

Amor está em tudo e em todos. Está na nossa essência e criação, nosso criador.

Para qualquer lado que desviemos nossos olhos e atenção, olhar e imaginação, vemos pequenas mostras de Seu amor por nós.

Mas não é sobre o amor que quero falar, e sim sobre a atração que sinto por ele.

Algumas pessoas já me perguntaram: “Como você consegue falar de amor mesmo quando o tema não tem nada a ver com ele?”.

Infelizmente não vou poder responder à essas pessoas.

Nem eu sei.

Já pensei em várias razões...

Desde que consegui começar a compreender uma pequena parte do que é o amor, eu busco esse sentimento... Se eu o encontrei? Em partes.

O amor da amizade eu tenho, sempre tive, e é esse amor que me ajuda a continuar.

Amor de homem e mulher...

Posso dizer que já tive mais decepções que muita gente que eu conheço. Mesmo assim, também posso dizer que conheço esse tipo de amor melhor do que muitas pessoas bem mais velhas que eu. Isso é uma outra coisa que me ajuda a não desistir.

Como posso afirmar isso?

Porque eu amo. Amos mais do que algumas pessoas já amaram em suas vidas...

Quem?

Uma garota, mulher, paixão, que um dia apareceu na minha vida. Talvez seja minha maior decepção.

Algumas (pouquíssimas) pessoas sabem do que estou falando.

O fato é que não deu certo e não vou parar minha vida por isso. Em contrapartida, não deixei de amá-la.

Sigo em frente com coragem e determinação, cicatrizes e disposição. Quem sabe não posso encontrar um amor que se compare (ou seja maior) que aquele? E mesmo que não encontre, não posso ficar parado esperando algo que pode nunca acontecer, uma história que pode não acabar da maneira que escrevi... Não posso desperdiçar oportunidades por causa de uma que falhou, não posso perder chances como as que já perdi. E não precisam ser chances de amor, chances de amar, mas apenas de viver e não se arrepender depois se a oportunidade não voltar.

Às vezes me pergunto o que foi que escolhi para esta vida antes de renascer. Tantas coisas que poderiam acontecer de um modo mais simples... sempre acabam acontecendo (ou deixando de acontecer) do modo mais complexo. Mas não é porque algo é mais complicado do que o comum que vou me deixar abalar, certo? Não, não vou e mesmo que seja para durar apenas um dia, algumas horas ou minutos, alguns instantes, apenas um beijo... não vou deixar de fazer acontecer.

Aprender com os erros é a melhor coisa que podemos fazer. Aprender com os erros dos outros é a mais sábia atitude que podemos tomar. Eu faço isso e tento não cometer o mesmo erro que cometi antes nem que os outros cometeram.

Você (e agora estou falando para uma pessoa em especial), que sabe mais do que qualquer outro sobre o que estou falando, não perca a oportunidade como eu perdi, aproveite o momento, mesmo que dure apenas por aquele dia.

O que você achou?

1 comentários:

Pa²H (: disse...

aham,
eu entendi o final...

Postar um comentário

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Online Project management