15 de agosto de 2011



“Sacrifiquei os meus sonhos em nome da paz e espírito.”


Não sei você, mas, para mim, uma frases dessas é quase uma heresia. Mas o pior de tudo é que muitas pessoas pensam assim.

O que seria essa tal “paz de espírito” da frase?

Seria um salário bom, que dê para levar a vida, em um emprego provavelmente sem emoção e que não tenha nada a ver com a pessoa, um emprego que apenas a consome e desgasta, pois ela não gosta do que faz. Seria, junto com o emprego, casar-se e construir uma família, criar raízes em uma cidade e seguir uma rotina, nunca se aventurando, uma vida sem emoção, provavelmente ao lado de um marido/mulher que se “aprendeu a amar”, como dizem por aí.

Elas só esquecem de um fato (ou talvez não o conheçam mesmo): a melhor maneira é NÃO encontrar paz de espírito é abdicar dos seus sonhos.

Pessoas que pensam em frases como aquela se autoflagelam, entregam a si próprios ao sofrimento de uma vida monótona, de um emprego chato.

Não estou dizendo que todo emprego precisa de adrenalina, mas para se sentar em um escritório por no mínimo 8 horas por ia, é preciso gostar (assim como em qualquer outro emprego), mas a maioria das pessoas não gosta do que fazem, trabalham porque precisam ganhar dinheiro, mas não estão satisfeitos, muito menos realizados com o que fazem.

Sabe porque eu disse que pessoas assim geralmente não se casam com quem amam de verdade? Porque o verdadeiro amor não é fácil de se viver. Ele machuca e traz sofrimento, angustia, problemas e dificuldades. Viver o verdadeiro amor exige muita coragem e determinação e, acima de tudo, acreditar que um dia tudo vai ficar bem. Porque realmente fica, mas só para aqueles que arriscaram viver, que não desistiram da grande luta que é o verdadeiro amor.

Sabe qual é a melhor (talvez única) forma de se encontrar a paz de espírito?

Vivendo seus sonhos.

Se é fácil? É óbvio que não. É muito mais difícil do que abdicar deles. Mas, para mim, é exatamente onde está a graça da coisa. Qual a recompensa se for algo fácil de ser conquistado? Que graça tem se realizarmos o nosso maior sonho sem precisarmos batalhar por ele? A satisfação, o tamanho dela, vai ser determinada pelo caminho percorrido até o nosso objetivo, não apenas pelo objetivo em si.

Só consegue aquilo que quer, aquele que é merecedor de tal dádiva, e só merece aquela pessoa que percorreu o caminho inteiro, que lutou e venceu, que conquistou.

Eu não sei você, mas eu prefiro sofrer anos e anos e ver o meu sonho realizado, a nunca sonhar de verdade, a nunca tentar. Porque um dia, eu vou ter a minha paz de espírito, com meus sonhos realizados e a mulher da minha vida ao meu lado. Mas se você prefere seguir a primeira frase deste texto...

Bem, boa sorte pra você.


O que você achou?

0 comentários:

Postar um comentário

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Online Project management