5 de junho de 2011

Como não amar?


Apesar do título ser “Como não amar”, não vou começar este texto com essas três palavras: ficaria óbvio demais.
Posso começar de um jeito que talvez a deixe levemente irritada, mas eu sei que vai fazê-la sorrir.
Já faz pelo menos umas duas semanas (talvez três) que ela está pedindo pra eu fazer um texto pra ela, e ainda não fiz. Ela deve pedir isso pelo menos uma vez por dia, ou pelo menos todas as vezes que o meu blog é mencionado nas conversas. E você nunca mais fez um texto pra mim, é o que ela sempre diz. Enquanto escrevo esse, ouço uma música (junto com ela) que às vezes a faz chorar. Eu digo: Não vai chorar hein. E em resposta eu tenho um sorriso, o sorriso, aquele sorriso. Esse sorriso sim merece a pergunta do título: Como não amar?
Como não amar, os sorrisos dela e até mesmo as lágrimas, como não amar seus olhos que dizem tudo para mim assim que se focam nos meus, como não amar essa garota que me faz sorrir a cada gesto, a cada palavra, a cada abraço, a cada tapa, a cada mordida, a cada beijo...
Como não amar esse jeito idiota e absurdamente dependente dela me amar (e sei que aqui ela vai fazer uma cara de brava com um sorriso nos lábios) e que mesmo parecendo ser sufocante para os outros não é para mim, porque eu sinto falta, fico agoniado a cada vez que ela demora mais do que cinco minutos para responder uma mensagem.
Como não amar seu pequeno corpo tão lindo, que não é perfeito nos quesitos que hoje são usados para perfeição, mas que para mim é perfeito, o mais perfeito, o único que tenho real vontade de ter, de possuir.
Como não (e agora vou mudar um pouco a frase título do texto) me apaixonar ainda mais por ela a cada vez que me declaro e vejo que ela se apaixona ainda mais por mim.
Pareço meio presunçoso demais, afirmando que ela me ama desse jeito? Bem, se pareço, é porque você nunca conheceu um amor verdadeiro, tão verdadeiro como o que eu sinto por ela, como o que ela sente por mim. E eu não sei que esse amor é grande e tão original simplesmente porque ela disse pra mim, mas sim porque eu olhei dentro de seus olhos e enxerguei o que a sua alma gritava lá de dentro para mim e, enquanto isso, sei que ela também olhou fundo nos meus e leu as mesmas palavras que não podem transmitir e traduzir tudo o que sentimos um pelo outro.
Porque essa é uma das maiores verdades que eu já tive e senti na vida: Eu a amo.
A amo profundamente e absurdamente nesses apenas sete meses que esse amor existe dentro de nós. Bem, sete meses pelo que podemos nos lembrar, né, porque um sentimento tão grande não pode vir apenas de uma única vida. Pode parecer meio clichê isso, algo que todo mundo diz. Bem, talvez essas pessoas tenham dito a verdade quando falaram isso ou talvez não, não posso saber. Só sei que o que eu digo é verdade.
Agora ao meu lado ela comprova tudo o que acabei de escrever, rindo e se comportando como uma criança, idiota, mas feliz, e é por isso que eu a amo tanto.
Hey, moça, eu te amo demais, ouviu?
O que você achou?

1 comentários:

Amanda Bortoletto disse...

Ah, é o texto mais lindo que você já fez pra mim! *-* eu tbm te amo demais.

Postar um comentário

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Online Project management